domingo, 14 de setembro de 2014

Azul.

Azul.  Como o céu claro; feliz, vivo, divino, amável, o mais belo que existe. 

Azul.  Como a noite escura, de suas estrelas puras, do proibido e do triste. 

Azul. Vivendo cada nuance, do claro ao escuro, passeando em degradê. 

Azul. É o cenário da minha vida,  a cor da minha alma, do ar, do meu ser. 

Azul. Do tamanho do universo, brilhante que nem sol, perdido como o mar. 

Azul. Para sentir que existo, para respirar de novo, para a plenitude de amar.